Quem é o Rentista?

"O capital é trabalho morto que, como um vampiro, se reanima sugando o trabalho vivo, e, quanto mais o suga, mais forte se torna." Marx, K. H.

O Rentista era um trabalhador explorado que decidiu dizer não à exploração de sua mais-valia e perseguir o sonho rentista. E nenhum lugar melhor para isso do que a Terra de Santa Cruz, o país do futebol, do rebolado, do “jeitinho”, e mais importante, o país dos juros altos: Brasil, o paraíso dos rentistas.

Durante décadas de estudo e reclusão, o Rentista adquiriu todos os conhecimentos necessários para o domínio da sublime arte dos investimentos. Descobriu que haviam diversas correntes de pensamento, incluindo as que defendiam a eficiência do mercado, as que buscavam entender os fundamentos das empresas, as que enxergavam o futuro olhando para o passado e, é claro, os “sardinhas”.

Todas essas correntes resultavam em diferentes estratégias e também se diferenciavam em relação ao prazo do investimento (buy and hold, swing trade, day trade). Porém, ao invés de ceder ao ímpeto de confrontar as ideias e buscar o verdadeiro conhecimento, o Rentista nunca perdeu o foco de seu nobre objetivo: ficar podre de rico e viver de renda.

O objetivo de vida do Rentista
O objetivo de vida do Rentista

Assim, nenhuma possibilidade de ganhar dinheiro foi descartada. E após todos esses anos de estudo e reclusão, era chegada a hora de por o plano em prática.

Para alcançar seu objetivo, o Rentista tomou algumas ações:

  • Organizou seu orçamento: o Rentista colocou todos seus gastos em uma planilha e resolveu cortar tudo aquilo que era desnecessário, utilizar cartões de crédito de forma eficiente, mudar sua rotina de alimentação, pesquisar preços e planejar gastos. Isso lhe permitiu alcançar uma poupança de cerca de 50% de sua renda como assalariado.
  • Construiu um plano de investimento: com a poupança mensal de 50% de sua renda, o Rentista decidiu começar a fazer aportes em uma carteira de investimentos diversificada construída com base em seus extensos conhecimentos sobre o mercado financeiro adquiridos ao longo de muitos anos de estudo, blá, blá, blá…
  • Traçou objetivos de longo prazo: o Rentista também considerou que além de viver de renda (em no máximo uns 20 anos), gostaria de trocar de carro eventualmente (a cada 4-6 anos) e construir uma casa digna de um rentista (em no máximo uns 15 anos). Para isso, a liquidez de seu portfólio deveria refletir essas necessidades. Outros eventuais gastos menores deveriam ser totalmente cobertos por uma reserva de emergência.

O plano do Rentista requer comprometimento e mais importante, uma boa expectativa de vida. O Rentista não é tão novo a ponto de ser inexperiente na vida, mas também não é tão velho a ponto de precisar liquidez diária em todos investimentos.

O Rentista encontra-se na faixa de idade dos 30 a 40 anos, ou seja, espera viver ainda pelo menos o dobro da sua idade, o que lhe dá um boa expectativa de vida para investimentos de longo prazo. Se você deseja replicar a estratégia do Rentista, não esqueça de ajustar a liquidez dos seus investimentos de acordo com a sua idade.

Confira o plano de independência financeira em detalhes e a carteira ideal construída pelo Rentista.

Caso queira tirar dúvidas, dar sugestões, fazer parcerias ou conversar, não hesite em mandar um e-mail para orentista@orentista.com.